0 Flares Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Certamente um país imponente, de encher os olhos com sua arquitetura peculiar (que já pude avistar em muitas cidades da América do Sul, colonizados por espanhóis) e uma atmosfera artística que é um prato cheio para quem ama artes.

Depois da minha impressão de me sentir em casa em Portugal, confesso ter ficado admirada o quanto me identifiquei com os espanhóis. Sou descendente de portugueses e espanhóis e foi assim: em Portugal entendi o Brasil e me senti em casa, mas na Espanha vi de onde faço parte.

Vem daí minha admiração pelo idioma, meu interesse pela cultura, minha veia artística e a paixão pelo flamenco. Ouvi dizer que cada origem é reconhecida pelo coração e na Espanha foi assim…

Ainda tenho muito o que explorar neste país. Passei bem pouco tempo em relação a tudo que quero conhecer, mas deixo algumas dicas para instigar quem quer conhecê-los de pertinho.

O raio-x dos preparativos são:

Transporte utilizado: avião, trem, pernas e mochila nas costas! (mais uma bandeirinha para costurar na mochila)

Moedas – Euro e dólar

Preparativos peculiares – Passaporte, mapas, carta-convite (se você tiver alguém que more lá é ótimo ter este documento), reserva de hoteis, cartão de crédito internacional, comprovante de residência e vínculo empregatício no Brasil, saldo bancário com valor suficiente para o período da viagem, passagem de volta e seguro internacional.

Vestuário – Segunda pele, casacos impermeáveis, meias de lã e protetor de orelha. (Fui no auge do inverno)

Chegada em Barcelona – Frio, frio, ai, que frio!

Como boas vindas, a amiga querida Lara me levou para Barceloneta  comer as tradicionais Patatas Bravas com sangria para beber! A sangria é uma bebida com vinho e frutas. Huuummmmm, nada mais típico! Para completer: assistindo um fantástico show ao vivo de Flamenco!

Olé!!!

O turismo tradicional imperdível: Parque Guell, as Ramblas, colocar o pé no Mar Mediterrâneo e a igreja da Sagrada Família, obra do onipresente Gaudí, filho ilustre de Barcelona. É realmente incrível. Mesmo para quem não gosta de visitar igrejas, essa é imperdível.
Se por fora ela já causa admiração, por dentro a beleza das estruturas, dos mosaicos e a luz que entra fascinam os olhos.

Encontrei uma fila que dava a volta na igreja, mas como tudo por aqui funciona bem, andou rápido. Preço da entrada 12 euros.

Em seguida fui ao Bairro Gótico, onde almocei em um prédio mediaval do século XIV. É um lugar fantástico. Ruas estreitas onde parece cenário de filme.
Andei de metrô e ônibus, tudo muito moderno e eficiente. Nas ruas existem estações de bicicletas para os moradores andarem pela cidade.

Um exemplo de que modernidade não é só tecnologia, mas também boas ideias.

AVILA

Roteiro perfeito para um bate e volta.

Peguei um trem em Madri (7 euros ida e volta) que parava em tudo quanto era vilarejo e duas horas depois estava no destino. A dica é que por uns 2 euros tem trem que vai direto.

O vento forte e gelado não me impediu de subir nas muralhas e admirar a beleza do local.
Uma cidade medieval onde o centro é cercado por uma muralha medieval e tem todo um charme com suas ruas estreitas e uma basílica do sec. XII.

Casinhas coloridas e vilarejos cheios de charme fazem da cidade um roteiro de cinema. Perfeito para fotos!

É um roteiro muito procurado por historiadores e católicos, pela forte influência da religião em tudo que se vê em Avila. Cidade bem turística, mas pacata. Portanto se você curte algo mais agitado, continue em Madri. Avila respira e exala história!

Os pontos de interesse turístico na cidade são: Muralha e Catedral de Avila, Convento Santa Teresa, Basilica San Vicente de Avila.

No inverno leve casaco, gorro e luvas, pois é muito vento. Já no verão, óculos escuros e protetor solar. Em ambos os casos, um calçado confortável é uma ótima pedida.

BARCELONA

Visitei a La Pedrera, mais um prédio projetado por Gaudí, onde ele se inspirou em formas de animais e ossos para desenhar as formas do prédio. A visita inclui alguns andares e o terraço, que é fantástico.

Em seguida fui ao bairro Raval, e nas Ramblas, que são passeios com lojas e artistas de rua por todos os lados.

Almocei frutos do mar no Mercado Boqueria. O mercado é fantástico e dá vontade de sair comendo e levando tudo. Pratos a base de frutos do mar é a especialidade local. Vale a pena provar, tudo fresquinho!

Desci andando até o monumento em homenagem a Cristóvão Colombo, peguei o bonde para o Montjuic e em seguida o teleférico no mesmo morro para chegar ao forte que fica no topo e de onde pode-se ver a cidade toda. Passeei por um parque e no caminho passei em frente a fundação Juán Miró, saindo em cima da praça Espanha, onde fica a fonte musical

Estando no inverno na Europa eu tinha que ver neve. Acordei 5h da manhã, peguei o metrô e na estação Barcelona-Sants, um trem até La Molina, cidade turística com pista de esqui.

Foto: Fabio Pinheiro

Cheguei lá por volta de 9h40 e a cidade, acreditem, deserta e claro, um frio de matar! Para terem uma noção saí de Barcelona com 14 graus e a cada 30 minutos caía uns 2, portanto até chegarmos em La Molina, já estava 01 grau!

Bom, um bus até a estação de esqui e UHUUUU, neve a vista!

Fiquei por lá umas 3 horinhas e deu para curtir bastante e até cansar do frio cortante.

Certamente um país de paisagens encantadoras!

Hasta luego!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here