0 Flares Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Imponente, imperial, única. Estes são apenas alguns dos adjetivos para descrever uma cidade tão superlativa como Saint Petersburg, na Rússia. Gosta de história e quer sentir um gostinho de Europa na Rússia?! Não deixe de visitar a terra dos czares.

Não gosto muito de comparar cidades, pois acho que cada uma delas tem seu charme e sua importância. Mas enquanto Moscou nos faz recordar da guerra fria, das estrelinhas vermelha do comunismo, dos filmes de James Bond, de Stalin e Lênin, São Petersburgo é um convite para degustar uma Rússia mais “arrumadinha”. Dá até pra brincar que St Petersburg é Europa com um quê de Rússia e Moscou é a Rússia, Rússia mesmo. Acho que é até por esse motivo que muita gente diz que se lembra de Paris e outras cidades clássicas do eixo turístico europeu, quando visita São Petersburgo.

Para entender mais a fundo essa cidade, temos que retomar um pouco da história. St Petersburgo surgiu dos sonhos e da visão de Pedro, o grande. Esse personagem da história russa não só emprestou seu nome para batizar a cidade, como conseguiu transformar a Rússia em potência europeia, modernizando o país e trazendo novos ares para um lugar que, por estar tão distante, acabava meio que às moscas. Sim,  São Petersburgo deve muito à Pedro e a toda dinastia dos Romanov.

O que visitar em St Petersburg

A cidade é perfeita para um roteiro de 4-5 dias. Menos do que esse tempo, eu não recomendo. Além de ser mais corrido, e você vai ter que, inevitavelmente, deixar pontos turísticos de fora. Sem contar o tempo de viagem para chegar até aqui. Por isso, vale dar uma esticadinha até a capital Moscou (as duas cidades ficam a 8 horas de distância de trem) e, quem sabe, até preencher seu roteiro como uma visita à Finlândia. Eu fiz isso e recomendo muito.

Multicolorida: a Catedral do Sagrado do Sangue Derramado (foto: Fabrício Giglio)

Super colorida e impressionante, a Catedral do Sagrado do Sangue Derramado é um dos pontos turísticos mais icônicos de St. Petersburgo. Construída por causa do assassinato do czar Alexsander II, a igreja é tão incrível por fora, quanto por dentro. Se sua fachada tem as famosas cúpulas coloridas que parecem de chantilly, seu interior é totalmente forrado por mosaicos. Imperdível!

A Fortaleza de Pedro e Paulo fica na ilha Zayachy, do outro lado do Rio Neva. O lugar foi construído como ponto de defesa para os russos, para o caso de terem seu território invadido pelos suecos. Além da prisão utilizada para presos políticos, há museus e uma catedral onde estão os restos mortais de vários membros da dinastia Romanov.

Praça do Palácio vista do museu Hermitage (foto: Fabrício Giglio)

Outro ponto turístico superlativo, o Museu Hermitage mais parece um labirinto de inúmeras obras de arte. Localizado no Palácio de Inverno, o Hermitage é um dos maiores museus do mundo. São mais de 300 salas repleta de pinturas, esculturas, objetos de época (dizem por aí que o acervo chega a 3 milhões de peças!). Alguns destaques por aqui: a surreal Escadaria do Jordão, o quadro A Madona e a criança (de autoria de Da Vinci) e os apartamentos que abrigaram os Romanov. Aproveite para conhecer a Praça do Palácio e tirar inúmeras fotos do prédio gigantesco verde com detalhes em branco. E, pasmem, este é apenas um “braço” do Hermitage.

Muitas fontes e ostentação no Palácio Peterhof (foto: Fabrício Giglio)

É luxo e ostentação que chama?! Por falar em lugares que nos transportam para outros tempos… O Palácio de Versailles da Rússia, o Peterhof é uma construção megalomaníaca que você TEM que visitar na região de St. Peters. Pertinho do Golfo da Finlândia, esta foi a residência de verão de Pedro, o Grande. Impossível não se impressionar com as mais de 100 fontes daqui. Mas as mais impressionantes estão na escadaria com o belíssimo Grande Palácio, outro ponto que vale a visita, ao fundo. E o mais incrível desse lugar?! Mesmo com todo ar de luxo, Peterhof preserva uma vibe relaxante.

Voltando para a cidade, a Catedral de Kazan tem sua arquitetura inspirada na Catedral de São Pedro, em Roma. Fica na movimentadíssima Nevsky Prospect, região que recomendo muito para se hospedar. Além da cúpula de 80 metros, pare para admirar as 96 colunas que compõem a igreja. Aqui, você estará no coração da cidade, pertinho de várias atrações, bons restaurantes e muitas lojinhas de souvenirs.

Roma?! Não! É a Catedral de Kazan (foto: Fabrício Giglio)

Outra igreja para conhecer: com sua cúpula dourada, a Catedral de São Isaac oferece uma das vistas mais incríveis para a cidade de Pedro. Se quiser uma experiência ainda mais inesquecível, programe a subida para o finalzinho de tarde! Daqui, dá para observar vários pontos famosos.

Que tal ver a cidade por um outro ângulo?! Os cruzeiros pelo Rio Neva são bem interessantes para dar aquela última olhadinha nas atrações incríveis daqui.

O Strogonoff nasceu aqui!

O prato que caiu no gosto e agrada paladares dos brasileiros foi criado, na verdade, bem longe da linha do Equador. Diz a lenda que o prato surgiu no Stroganov Palace, quando a família estava para receber alguns convidados e os cozinheiros tiveram que improvisar. Se é verdade ou não, ninguém sabe. Mas uma coisa é certa: o gosto pelo strogonoff é praticamente uma unanimidade. Entre os principais restaurantes para comer o bom e velho Strogonoff (ou Stroganoff, em Russo) estão o Stroganoff Steak House e o Dachniki. Este último recria o ambiente de uma cabana soviética. Totalmente aconchegante e a comida é bem saborosa, praticamente uma comfort food.

Dicas gerais

Visitei Saint Petersburg em setembro, finalzinho da primavera. Mesmo sendo final desta estação, encarei dias de frios (com os termômetros marcando na casa dos 14 graus) e o tempo bem instável (com sol e chuva em diferentes momentos do dia). Como o inverno aqui é mega rigoroso, recomendo visitar a cidade no verão ou na primavera. Assim, você vai curtir a cidade com dias mais longos e sem quase morrer de frio.

A moeda aqui é o rublo, que é mais desvalorizado do que o Euro e menos do que o real. Quando estive na Rússia, as casas de câmbio do Brasil ainda não comercializavam a moeda. Porém, a situação mudou e já é possível encontra-la por aqui, graças à Copa do Mundo. Mesmo assim, acho interessante levar uma quantia em euro, para o caso de alguma emergência e fazer a conversão do euro para rublo em algum banco autorizado.

O alfabeto cirílico é algo que assusta boa parte dos viajantes. Mas ele não deve ser motivo de pânico! Grande parte das atrações turísticas e cardápios dos principais restaurantes têm placas com tradução para o inglês, o que facilita muito a vida do turista. Outra dica é usar aplicativos que leem os escritos e traduzem para nossa língua. Embora eles não funcionem 100% do tempo, podem te salvar de algum apuro. Outra sugestão é andar com o alfabeto cirílico e sua equivalência para o nosso em um papel impresso. Acredite, com o tempo você vai se acostumar à língua e até entender algumas palavras.

Confira os vlogs que gravei na terra dos czares!

Tem mais dicas de St Petersburg? Deixe nos comentários!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here